Papo de Marceneiro

PAPO DE MARCENEIRO: COMO TIRAR O MÁXIMO PROVEITO DE SUA SERRA PARA ACABAMENTO EM MDF?

     Amigo marceneiro, hoje o assunto que iremos tratar com vocês é sobre um grande problema, não só pra vocês, mas também pra todos fabricantes de serras para acabamento e MDF; pois todos nós do ramo moveleiro, desde os grandes fabricantes até as empresas familiares, sabemos o quão comprometedor é para qualquer serviço a ausência de um acabamento polido, um corte retilíneo sem aqueles “piriricados” na borda do MDF.

É evidente que a baixa qualidade do MDF produzido atualmente compromete o produto final, e neste caso se torna ineficaz qualquer equipamento ou técnica a serem utilizados. Além de comprometer o acabamento perfeito no móvel, muitas vezes, na tentativa de amenizar o problema, o marceneiro perde tempo, o que reflete no aspecto financeiro, com trabalhos extras depois que se faz um corte sem polimento, como passar em desempenadeiras, etc.

Para resolver estes problemas que afetam a sua produção, elaboramos um simples passo-a-passo com apenas 3 etapas visando otimizar seu trabalho e melhor aproveitamento de sua serra circular para acabamento em MDF.

l) Inicialmente, deve-se estar ciente que a qualidade da própria serra circular impacta diretamente na qualidade do seu produto final. Portanto, a escolha correta do disco entre os diversos modelos e marcas disponíveis no mercado é o primeiro ponto a ser avaliado. Cada serra tem o seu limite de acabamento, porém não necessariamente a mais cara do mercado será a que fornecerá o melhor acabamento. No link abaixo você encontra vários modelos de serras especiais para acabamento em MDF disponíveis no Outlet do Marceneiro, com serras de qualidade a partir de R$201,80.

Clique aqui para conferir as melhores serras para acabamento em MDF!

Il) Ainda durante a escolha da ferramenta para trabalho, surge a dúvida entre escolher uma serra do tipo RT (reto trapézio) ou em Grau (35°/38°). Para se fazer uma escolha mais precisa é necessário saber se irá trabalhar em máquinas de precisão, como seccionadoras ou esquadrejadeiras, com guias lineares em aço maciço, pois para estas o recomendado será sempre pelas serras RT, devido ao riscador que irá trabalhar junto da serra principal. Por outro lado, se você trabalha em esquadrejadeiras sem riscador, poderá trabalhar com as duas opções, tanto RT quanto em Grau. Contudo, saiba que a princípio as serras em Grau fornecerão um melhor acabamento que as RT, e caso você more em grandes centros onde facilmente se encontra empresas especializadas em afiação de serras, a melhor opção é escolher uma serra de Grau; caso não tenha em sua região uma empresa especializada em afiação de serras, com máquinas capazes de fazer a mesma afiação de fábrica, é melhor trabalhar com as RT, visto que estas são mais simples de se fazer as afiações. Assim, a serra poderá fornecer um excelente acabamento por muito mais tempo.

lll) Por fim, depois de ter feito as escolhas importantes acima, é muito natural ver pessoas trabalhando com a regulagem da serra errada, como ilustrado na imagem acima. Esta regulagem é de suma importância para um bom acabamento. A serra deve passar somente o necessário para fazer o corte no MDF, nunca além disso. Sempre aliado à rotação recomendada pelo fabricante e a uma flange de no mínimo 1/3 da circunferência do disco. Portanto, são detalhes extremamente importantes a serem considerados durante seu trabalho.

Esperamos que este artigo tenha sido útil, e caso tenha algum outro ponto a ser destacado que você sentiu falta neste texto, deixe abaixo nos comentários para que possamos abrir uma discussão e difundir o conhecimento. Comente o que achou e entre em contato conosco para tirar qualquer dúvida sobre o assunto abordado. Estaremos sempre à disposição no whatsapp, redes sociais e telefone! Em breve postaremos mais artigos acerca de temas relevantes e recorrentes no dia-a-dia do marceneiro. Aguarde!